03 junho, 2008

hoje estou inquieto

hoje estou inquieto
há dentro de mim uma voz feita de vácuo
de mil almas em fuga vestindo angústias

imponderáveis horas vazias ilúcida limpidez
silêncios erguendo o vento em desassossego
desenho o pensamento no pó da vidraça

é um poema que me abala o corpo
um choro um ranger de desespero em relevo
milhões de bocas famintas cravam os olhos nos meus

não há romantismo que atenue tanta dor
infligida pelos gumes de um universo de poderes
e não me venham dizer que a culpa é do destino

no meu íntimo literário pairam as dúvidas
o remorso da felicidade escrita quando tantos agonizam
mendigando a extrema-unção esmola da desolação


hoje sinto-me como um bicho vivo transportando um cesto vazio!

14 comentários:

Ana disse...

"é um poema que me abala o corpo"
-------------------------

E umas vezes os poemas são feitos de paixão, de ternura, de êxtase, e outras vezes são feitos de dores lancinantes, de impotência e de desespero.

E a nobreza da poesia não é menor num caso do que noutro. Ela é sempre a porta aberta no coração de quem a escreve.

Vanda Paz disse...

lino, lindo, lindooooo


beijo

Maria disse...

Muito bonito.....

:)

Beijos

Papoila disse...

Hoje sentes ... e isso é o que importa.

Beijos
BF

Lyra disse...

Peço desculpa pela minha ausência...mas às vezes a vida dá voltas inesperadas e o chão parece que nos foge... Torna-se necessário “recolhermo-nos” um pouco, fugir do mundo e fazer uma introspecção profunda. É isso que tenho feito e por isso não te tenho vindo visitar...

A verdade é que me sinto no meio das trevas, onde sorrio à vida, como se conhecesse a fórmula mágica que transforma o mal e a tristeza em claridade e em felicidade. Então, procuro uma razão para esta alegria, não a acho e não posso deixar de rir de mim mesma. Creio que a própria vida é o único segredo...

Quando estiver mais...animada...voltarei aqui...

Beijinhos e desculpa

segurademim disse...

o remorso

é difícil de conviver com as desigualdades...
[ se pelo menos pudessem sentir a felicidade da leitura ]

mas remorsos deviam sentir os que contribuem para as injustiças

mundo azul disse...

...há dias assim! Lembrei, com a leitura do seu poema, uma música do Chico Buarque..." tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu..." Mas,a parte boa, é sabermos que nada dura...
É um belo poema!!!
Beijos de luz e uma semana feliz...

foryou disse...

Inquieto assim... tipo caracol??? :P
Sentes-te um bicho de que tipo??? :P



Beijinhosssssssssssss

david santos disse...

É esse o presente que teima em caminhar para o futuro.
Parabéns.

David Santos

foryou disse...

Ahhh e se tivesses cá vindo, enchia-te o cesto de bolinhos!! :P

Um Poema disse...

...
Ler-te continua a ser um prazer.

Um abraço

soslayo disse...

antónio paiva:

Inquietos andámos todos com o mundo que nos rodeia... lindo o poema. Um abraço.

LuzdeLua disse...

Sou como uma grande àrvore e meus amigos, minhas folhas acumuladas e juntas, que amenizam as tempestades da minha vida, de perto ou distantes.
E ainda há aqueles que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, sempre aparece novamente entre uma folha e outra.
O tempo passa, o verão se vai, o outono se aproxima, e perdemos algumas de nossas folhas.
Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações.
Mas o que me deixa mais feliz é que as que caíram continuam por perto, continuam alimentando a nossa raiz com alegria.
Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam o nosso caminho.
Desejo a você, folha da minha árvore, Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...
Em gratidão pela força e ajuda, estou chegando e superando mais uma batalha desta que é a minha vida.
Obrigada sempre por estar por perto.
Um beijo grande em teu coração.

"Cada pessoa que passa em nossa vida é única. Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós".

© Piedade Araújo Sol disse...

há dias assim.

eu sou por natureza inquieta!

ou será irrequieta?!

beij