30 julho, 2009

Ode ao Arquipélago da Madeira e Porto Santo [abraçando as Desertas] (cont.)

II



gosto de me pôr à janela desta ilha que habito
a olhar o grande oceano em azul majestoso
a minha dimensão é do tamanho do que sinto
sou tantas vezes livre quantas vezes me liberto
só eu sei o que o meu pobre corpo vibra
quando a alma dele se evade e poisa nos canteiros
há flores de todas as cores perfumes sem dores
uma ilha nunca será pequena como a dizem
pois a partir dela se pode ver a dimensão do mundo



por aqui sei que posso venerar o crepúsculo
combater o tédio compreender sem destruir
sinto que destruir é esquecer de amar
esta ilha ensinou-me a amar desde que me acolheu
alimentou-me dos seus seios esplendorosos
resgatou-me ao cansaço ofereceu-me o seu generoso regaço
toda esta ilha é um majestoso corpo de mulher
onde se adivinha o amor estendido nos braços dos homens
abençoado pela mão despida do oceano



imagino Gonçalves Zarco a desembarcar
para além das naus traria certamente o sol nos lábios
nos olhos o êxtase que o belo ao homem sugere
no rosto o espanto pela sensualidade do verde e azul
estremecendo de prazer no rasgar do véu feito de bruma
entre mar e céu festejos de pupilas dilatadas no calor da terra
visão inesquecível e comovente para pintores e poetas
tocantes sinfonias de vida e alegria nascem nesta pauta feita ilha
a mão do homem que tudo muda mas a essência e o amor permanecem



antónio paiva
(por favor respeite os direitos de autor)

4 comentários:

escarlate.due disse...

mas o que é isto agora apanhaste a mania de vir para aqui fazer peditórios?? ah e tal respeite bla bla bla qualquer dia chego aqui e vejo ah e tal contribua para a minha boa vida aqui está o nib da conta


adoro ilhas! tu sabes :)
beijoooooooo

rascunhos disse...

olá amigo


interessante esta nova etapa

gosto !


beijo p ti

Ana disse...

Aguarelas da realidade exterior e perfumes do que te vai por dentro.
Parabéns por estas odes.
Abraço.

Papoila disse...

boa leitura da "pauta feita ilha" ;)
Adorei
BF