13 março, 2007

(fotografia chuvamiuda)
(clicar na imagem)
não nasci para ser prisioneiro, abandono o corpo, sempre que este me incomoda. fecho os olhos encosto a cabeça e parto.
antónio paiva

13 comentários:

Maria disse...

... em sonho...

Boa noite

MiguelGomes disse...

E como é bom...

lifeyes disse...

Não gostei:
nem do abandono o corpo
nem do parto
e muito menos do só retomar 2 dias depois (no post anterior)
e detesto este raio de verificações nos comentários, em que eu troco as letras todas, grrrrr
mas está bem, só pelo não nasci para ser prisioneiro, estás perdoado
:)
beijo

Um Poema disse...

Quando, fechando os olhos, deixar de conseguir partir, saberei que a minha vida se esgoou.

Um abraço

Escorpiana Explosiva disse...

Linda imagem e poema,mas vc pegou pesado em abandonar o corpo,sempre que este me incomoda.Fecho os olhos encosto a cabeça e parto.

Quando nascemos temos o dever de passar tudo que temos de bom aqueles que não tem nada.

Jamais abandone um corpo por ele não estar de agradando simplesmente tente desculbrir o que nele esta a de pertubar.

Fechar os olhos pra verdade é como fugir do seu próprio compromisso.

bjo

amigona disse...

Encontro-te por aí mas não tens aparecido no meu canto...que se passa? Beijo...

rascunhos disse...

.................


e quando se nasce com essa vontade, mas se criam amarras fortes de mais, para serem quebradas? ...


..................

um beijo

Isabel-F. disse...

"não nasci para ser prisioneiro ...

"

adorei a frase ...

bjs

kurika disse...

...eu gosto de "voar" como descreves...

Bem vindo!!!

Tudo de bom

Um xi

un dress disse...

parto sem

des-ti-no.

flutuo incógnito

nos ventos.

es pa ça dos.

e as árvores me chamam.

de-muito-longe.

Ana disse...

Fecho os olhos, encosto a cabeça e sonho, mesmo sem partir.

segurademim disse...

... de partidas sou eu feita

com ou sem corpo

beijo :)

soslayo disse...

chuvamiuda:

Nem podias... e na crista dos teus poemas vais para além do imaginário. Um abraço poeta. Um bom fim-de-semana sereno.