13 maio, 2007

(fotografia antónio paiva)



há noites em que o dia nunca mais rompe
o sol tarda em nascer desenhando efémeras
a escuridão arde em febres altas
a lua não aparece para desenhar as estrelas
lá fora as almas choram por dois dedos de ternura
tento adormecer no tempo em que eu não queria salvar ninguém
os meus sonhos são de quando eu não precisava de me salvar
os lábios desprendidos das bocas, correm, correm, correm
depressa, depressa, muito depressa, até que voam, voam
os lábios

antónio paiva



Boa semana a todos/as.

30 comentários:

Afonso disse...

Belo texto. Gostei.
Espero que goste do novo visual do meu blog. Dê a sua opinião pf.

Bom domingo . . .

Miguel disse...

:-)

Felizmente há também dias longos em que o sol quente parece eterno.
Tal como ao longo de um ano, também neste sentido os dias e as noites alternam as suas durações. Que saibamos viver com uns e outros e que nos sempre de quando os lábios voaram com calma para bom porto.

Miguel disse...

esqueci-me de escrever ali em cima "lembremos"!!!!!!!

;-)

ana disse...

Enquanto as almas que choram por ternura tiverem a possibilidade de se cruzar com outras que que (se) querem salvar, há sempre hipótese de que os lábios voadores se encontrem.
Texto lindo!

rascunhos disse...

Bom domingo,amigo.Espero que tenhas o sol contigo...


bj

foryou disse...

Há noites que parece que nunca mais passam e contudo, a noite é linda

Menina do Rio disse...

Há noites longas e sem luar...
mas há dias de sol que compensam a escuridão dessas noites!

beijinhos

amigona avó e a neta princesa disse...

Há noites assim, sim!!! Saudades...

Isabel disse...

Lindo poema!
Há noites em que o sol nunca mais rompe e, há noites, em que o sol rompe antes da noite acabar.

Bjt e uma boa semana ( pelo que se adivinha: sem sol!!).

Bia disse...

"há noites em que o dia nunca mais rompe.." longe do tempo em que as noites voavam como voam os beijos...
Foi assim que senti, e que olhei para dentro de mim agora, em que as minhas noites também aguardam ansiosas o nascer do sol.
Beijo de boa noite

un dress disse...

eu quase nunca quero que o dia

rompa...





beijO.de.nOite*

Carlos Estroia disse...

Bem vou ter que passar pela FNAC, no Funchal.... entretanto


Um abraço

claudia disse...

Tenho saudades dos tempos em que não precisava de me salvar. Se tenho!

Hoje, não tenho salvação!

Boa semana.
;)

Isabel-F. disse...

... só me posso repetir:

lindo.


boa semana
bjs

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo poema, como sempre...
...
"lá fora as almas choram por dois dedos de ternura"
...
Tenho uma (não) surpresa para ti no meu blogue, passa por lá.
Boa semana, abraço.

clotilde disse...

Voam para onde?

Boa semana :)

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

Procura-se um nome e agradecem-se sugestões.

Joana disse...

Amigo,

com esta música de fundo...é fácil perceber como há alturas em que o tempo tarda em nos trazer respostas, em nos trazer a lua e a emoção da recordação!!!

Beijinho grande e uma boa semana

Lia disse...

Mas ainda que envolto na mais obscura escuridão, o dia ainda assim nasce... deixando que a lua o continue a acompanhar, ainda que não presente...

Um beijo

Vera disse...

Há noites em que o dia nunca mais rompe e o sol tarda em nascer e temos apenas a solidão por companhia...

Lindíssimo!

Beijinhos

kurika disse...

Há noites demasiado longas que tornam intermináveis as nossas dores mais sentidas.

Mas, ... o Sol, está lá, à espera que a Terra dê a volta sobre si própria.

E, à espera que o seu brilho e luz não te ofusque.

Um beijinho

Isabel-F. disse...

António,

Boa noite...

Já coloquei o Post.

Bj

Afonso disse...

Vou estar no lançamento do livro na FNAC.

Até lá . . .

Um Poema disse...

Boa semana para ti tmabém, amigo.

Pelo menos trabalhosa é capaz de ser.

Um abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Hoje deixei um bocadinho de ti no meu canto...espero que não te importes...beijo, amigo...

Maria disse...

"há noites em que o dia nunca mais rompe"...
há dias que eu queria nunca tivessem rompido...

Boa semana

un dress disse...

bOm.dia.

soslayo disse...

antónio paiva:

Muito bonito este poema ao tormento do amanhecer! Um abraço.

:)

lurainbow disse...

S.O.S
_Amas-me amor ?
_Claro que SIM.
_Não respondes-te muito convicta...!
_SIM AMO.
_Não percebo por és tão limitada não és como as outras , deves ter alguma deficiência , alguma anormalidade qualquer ...
_SIM Amor devo ter...
_És MESQUINHA,
_ SIM eu sei AMOR...
_Não prestas , não mereces nada ...
_É verdade AMOR eu sei...
_Olha para ti, o que vês?
_SIM eu olho...
_Mas que raio fiz eu para ter que te ATURAR caramba...
_SIM amor tens razão...
_Cala-te já...
_SIM amor eu calo-me...
_Mas amas-me não AMAS , Amor ?
_SIM amo...
_Mais alto não ouvi...
_SIMMMMMMMMMMMMMM
_Estas a gritar porque???
_Porque SIM ...
_Mas isso não é resposta...
_SIM amor eu sei...
_Aprende a não rastejar... verme
_SIM amor vou tentar...
_Tentar??? tu tens que rastejar OUVIS-TE ? Ouviste bem?
_sim AMOR OUVI...
_Há bem muito bem...
_Vou sair não sei se volto hoje , tenho trabalho...
_Sim amor vai...
_Amo-te MUITO e tu sabes...
_SIM SEI.!

Vamos ajudar . Dar força a quem precisa. Mais um grito de ALERTA.
BEIJINHOS CHEIOS DE COR

Tessa disse...

Lindos versos!
E confesso meu pecado, roubei-os pra mim dizendo que eram teus...