05 fevereiro, 2007

excerto

(fotografia chuvamiúda)

.......assistindo ao suicídio das horas, impiedosamente sugadas pelos minutos. Os gritos mudos dos relógios, aprisionados nos pulsos dos homens, vingam-se destes, movimentando os ponteiros num frenesim alucinante, apoderando-se assim da vida dos seus carcereiros.O homem inventou o tempo e ficou sem ele, inventou os jardins para morrer de cansaço........

antónio paiva


Boa semana a todos.

23 comentários:

Maria disse...

O tempo, sempre o tempo, ou a falta dele...
Boa semana pra ti

Anónimo disse...

Olá António tudo bem.
Tenho visitado o teu blog, os teus livros, ainda não tenho nenhum mas ja me falaram deles será o meu próximo a comprar, e tas numa linda terra madeira tive ai em 2006 duas semanas de ferias adorei é ai ao pé dessas flores que consegues ser tão doce ternurento, meigo carinhoso sei lá tanta coisa incógnita.

Um grande beijinho
Espinho

stela disse...

... inventou os relógios para correr contra o tempo e os jardins, para descansar da corrida...
beijos

Isabel-F. disse...

".....
O homem inventou o tempo e ficou sem ele, inventou os jardins para morrer de cansaço........
"

é isso mesmo
adorei o teu excerto
boa semana
bj

Anónimo disse...

Olá Antonio. Não sei se os meus comentarios chegam ate a ti.


Ah! Você vem
E eu nem sei de onde
Sem passaporte atravessa as fronteiras, do limite do
impossível, trás paz e consolo, uma palavra,
um verso e colorida flores sem perfume, mas que são
Bálsamo para a alma...beijo doce quente e ternurento

Espinho

segurademim disse...

... o tempo é impiedoso

os jardins não! podem ser muito retemperadores, amigáveis


passar pelas brasas alguns minutos, embalado pelo chilrear dos pássaros, impregnado de tílias

apropriei-me do banco de xisto, ele do de madeira, parece-me bem!

beijo . boa semana também para ti :)

david santos disse...

Olá!
"O homem inventou o tempo e ficou sem ele."
Maravilha.
Não tenha andado a fazer o meu roteiro, pois ainda não sei lidar bem com o novo sistema. Ainda vou morrer sem perceber nada disto.
Parabéns.

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Sinto que a amizade vai nascendo,
Cada palavra que me oferece é uma dádiva de inspiração, podemos sentir de maneira diferente, ainda bem mas como sabe bem sermos lidos e comentados por alguém.
É isso que faz a grande diferença sermos unos perante tanta subtileza.
Beijinhos
Obrigada
ConceiçãoB
Uma boa semana
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

a_cabra disse...

ena ena, consegui.. fui a primeirinha :pp
pois é borracho, nada a dizer... além de que é mais um lindo excerto, mas já estamos habituados :-))
beijinhos e coisa e tal

a_cabra disse...

ui... afinal não sei se fui que a censura chegou a terras do burro :ppppp e eu aqui toda contentinha... rais parta :-)

a_cabra disse...

mas por outro lado, e vendo as coisas pelo lado positivo, como lês antes de publicar sempre já posso comentar assim umas obscenidades e tal loooooooollllllllll beijos e livra-te de autorizares este

rascunhos disse...

Melhor seria deixarmo-nos guiar pelas estrelas...
um beijo e votos de uma boa semana

Sofia disse...

Gosto!

lifeyes disse...

O tempo...
Prefiro não pensar nele... senão não me sobra tempo para o desfrutar...

Joana disse...

Amigo...

o quanto me apetecia carregar no PAUSE do meu tempo e apenas usufruir da alegria dos jardins!

Beijinho grande e um abraço com ternura

P.S.Mais uma vez deliciada com as tuas palavras!

Um Poema disse...

É certo!... E o tempo é de tal forma escasso, que quase concordo com quem me diz que cada ano já tem só seis meses, tal a rapidez com que nos foge.
Um abraço

kurika disse...

Mesmo na azáfama da vida e do sempre contrarelógio, que bom que é, poder roubar um pouco de tempo para tirar uma soneca...!!! Mesmo que seja por cansaço absoluto. E num banco de jardim...Que bom!

Um beijinho

Bom dia

Vera disse...

Adorei o teu blog e todas estas reflexões.
Inventamos o tempo e ficamos sem ele...
Grande verdade! Grande filósofo!

Beijinhos

Opintas/Bernardo disse...

Boa tarde Burro. Um abraço.

Anónimo disse...

Olá Antonio tudo bem?


Por uma tela,os conheci...
Aprendi a amar, a rir e a chorar. Aprendi a acreditar, pois deles só posso "ver" os sentimentos. Aprendi a gostar sem saber a cor, o credo, classe social ou algo mais coisas típicas de nossa sociedade material. Doei...um pouco de mim, um pouco de tempo e até de trabalho também Mas, recebi muito mais! Recebi calor humano, carinho e amor de pessoas que talvez, sem o computador, nem imaginasse existir. Por força do hábito, os chamo de amigos virtuais. Virtuais? Que nada! São tão reais quanto eu... Ah!... quem dera o mundo aprendesse essa lição, aprendessse a gostar sem julgar, sem buscar fatores externos ao amor e à compreensão. Obrigada por existires! Obrigada por seres simplesmente quem és...!
meu fiel amigo.
um beijo no coracao,doçe, quente meigo e ternurento

Espinho

Mikas disse...

Boa semana, directamente de españa

Marco Ferreira disse...

Somos mesmo prisioneiros do tempo.

marinheiroaguadoce a navegar

Isabel-F. disse...

bom fim de semana para ti

Bjs