26 abril, 2007

























(fotografia antónio paiva)

ainda que te doa o corpo
ainda que as pálpebras fiquem pesadas
abre o peito de par em par
como uma janela para a serenidade


antónio paiva

11 comentários:

rascunhos disse...

Bom dia amigo.

Isso é que foi um desabafo no "ainda a propósito da liberdade" eheheheh

às vezes o "ponteiro" tb se passa
e aqui para nós, ainda bem que há liberdade para isso :-)

bj e um excelente dia

Miguel disse...

Bonito, como sempre.

Isabel-F. disse...

... palavras que me deixam sempre a pensar ...

bonita foto ...


Bjs

ana disse...

A uma janela aberta, por pequenina que seja, sempre chega um raio de sol, ou uma brisa da tarde, ou um sorriso, ou a prata do luar. Pode até pousar-lhe um pássaro no parapeito.

kurika disse...

Uma janela aberta é como uma porta para todas as direcções...

Beijinho

Bom dia

Marco Ferreira disse...

Que belo momento, esse captado pela tua objectiva, acompanhado por uma belas palavras.

marinheiroaguadoce a navegar

Maria disse...

De peito aberto estou, sempre...

Beijos

Escorpiana Explosiva disse...

maravilhoso poema e imagem.acho q devemos ter mais força de vontade pra fazer aquilo que é bom para nós e para quem nós da força para seguir enfrente.

PintoRibeiro disse...

Sem tempo, a correr, passei para deixar um abraço,

un dress disse...

pssssst!

e rega os cravos!!:)))




beijO*

soslayo disse...

antónio paiva:

Mesmo com o corpo doendo
a periferia das pálpebras
observando a nascente
da serenidade feito gente.

Um abraço amigo.