22 abril, 2007

a propósito de felicidade

(fotografia antónio paiva)





A propósito da questão que nos foi deixada na caixa dos comentários, a qual passamos a transcrever:

Vladimir said...Refere François Chateaubriand que “não somos nada, sem felicidade”.
Qual é a sua opinião sobre este tema?


Antes de opinar, deixamos aqui uma nota introdutória, da autoria de terceiros:

..........
Recordamos então um amigo, que afirmou que só quem ainda não encontrara qualquer coisa parecida com a felicidade se poderia dedicar a escrever poesia. Pasmámos, porque ele ainda era jovem e até já publicara alguns poemas de qualidade. Tão jovem e já tão assim satisfeito e tão sentado? E lembrámo-nos de um dístico, quase epígrafe: “E se fôssemos felizes, que desejaríamos então?”

extraído de um texto de opinião do programa de rádio, Onda de Leitura, RDP Madeira, Antena 1, sobre o meu livro "juntando as letras", que pode ser lido na íntegra aqui, Os Meus Livros
.............

Como se pode verificar, a questão não é pacífica, na realidade o ser humano necessita de estímulos e afectos para encontrar equilíbrios.

A partir desta perspectiva pode-se dizer, que o ser humano se sente feliz quando alcança um nível satisfatório de equilíbrio e bem-estar.

Mas fazer afirmações categóricas, sobre questões individuais, é lavrar no erro, porque o que me faz feliz a mim, pode fazer infeliz outra pessoa ou vice-versa. Claro que a tentação de fazer doutrina do pensamento está sempre presente, a vontade de condicionar e influenciar o outro é desde os primórdios da humanidade, um objectivo que se persegue, umas vezes pelas melhores razões, outras pelas piores.

Afirmar que “não somos nada, sem felicidade”, é bastante redutor, é praticamente afirmar que sem ela não existimos, claro que existimos e somos, pelo menos um ser humano, mesmo que infeliz.

O importante, é não desistirmos de buscarmos os nossos equilíbrios, ou se quiserem a nossa felicidade, tentando acima de tudo não beliscar a dos outros. Quantas vezes somos felizes e nem damos conta disso.

Em minha opinião, são as coisas simples que nos fazem felizes, mas às vezes não acreditamos por serem tão simples. Como por exemplo, achamos que um texto para ser belo e bonito, tem de ser muito elaborado, é a nossa tendência para complicar o que é tão simples, do mesmo modo entendemos que a felicidade tem de ser um diamante lapidado, eu também não fujo à regra.

Um sorriso, uma paisagem, uma fotografia, um poema, partilhar afectos, sentir as brisas o perfume das flores, os cheiros do mar e da natureza, bastam para nos fazer felizes e estão mesmo ali à mão. Na verdade na verdade, felicidade é pode viver.

Ou então fazer uma:


pausa


deixem-me ainda que ingenuamente
acreditar na utopia
agora que tenho tempo.
Depois podem fazer ruído
recuperei algum equilíbrio
é só um instante já vou abrir.


do meu livro "juntando as letras



Boa semana a todos/as.

17 comentários:

amigona avó e a neta princesa disse...

Agora mais acompanhada deixo-te um beijo de amizade...bom domingo amigo...

PintoRibeiro disse...

Discutível, mas acho que ( te ) percebo...a felicidade é desejável mas não indespensável, pelo menos para escrever.
Boa tarde e um abraço,

ana disse...

deixem-me ainda que ingenuamente
acreditar na utopia
***********

Mesmo que, em alguns momentos, sintamos que não estamos felizes, só vale a pena aceitá-los na crença de que outros melhores hão-de vir.
A felicidade é como o conhecimento: busca-se sempre mais um pouco e sabemos, à partida, que nunca alcançaremos tudo o que desejamos.
Mas esta é a força que nos impele, que faz de cada novo dia um desafio.
...........................
Ou, como diz a canção:

Marisa Monte
Composição: Carlinhos Brown e Marisa Monte

Eu era tão feliz
E não sabia, amor
Fiz tudo o que eu quis
Confesso a minha dor
E era tão real
Que eu só fazia fantasia
E não fazia mal
E agora é tanto amor
Me abrace como foi
Te adoro e você vem comigo
Aonde quer que eu voe
...

Jofre Alves disse...

Passei para lhe desejar um óptimo fim-de-semana!

Túlio Hostílio disse...

Gostei da forma como o tema da felicidade foi desenvolvido....

kurika disse...

O pouco ou muito que somos, acredito, dever-se à incessante procura da Felicidade, mesmo que por escassos momentos ela tenha passado de raspão...e nós nem demos conta.

Às vezes é tão curto o momento...mas tão intenso...e a recordação desse momento, é deveras felicidade...o termos vivido...e a recordação...mesmo que a seguir venha a nostalgia...ou a dor...!!!

Acredito que a busca d'Ela seja também um caminho triste, isto se nunca a encontrarmos.

Mas se não a conhecermos, acredito que sejamos seres diferentes...

Um beijo

Boa noite

Sê feliz

un dress disse...

dia-a-dia grão-a-grão momento-a momento...

a.ssim.

ah...e reconhecê-la de vez em quando. à felicidade.
(aos seus pequenos efémeros lampejos?)



bOa nOite.beijO :)

rascunhos disse...

No puzzle da nossa vida, as peças que encaixamos, procuram incessantemente atingir a felicidade..

... por vezes, distraidos que somos, acabamos por trocar as peças ou colocá-las no sitio errado...

Uma boa semana e

sê feliz!

Lia disse...

O ser humano é muito difícil em termos de felicidade.

Para mim a felicidade não é um destino, mas todos os momentos de uma viagem...

Um beijo e um dia sereno

Miguel disse...

Saio daqui, como quase sempre, um pouco mais feliz.

Barão da Tróia II disse...

Felicidade é acordar vivo, boa semana.

Menino Azul disse...

Em meditação, volto assim que o tempo deixar.

Bia disse...

A felicidade, todos a procuramos e é nessa procura que vamos tendo momentos felizes, mas para sermos felizes nem que seja aos bocadinhos, pois eu não acredito na felicidade completa, é preciso ver com o coração, saber apreciar um sorriso, um abraço, um carinho, uma flor, ver o mar para além da cor e acreditar que a magia está mesmo aí...
assim é o meu conceito de felicidade...
por exemplo ler-te acrescenta mais um pouco ao meu dia e como tal aos meus momentos.
beijo e boa noite

musalia disse...

as coisas mais simples, às vezes só observar é já um momento feliz:)

beijo carinhoso.

foryou disse...

Felicidade é sempre um conceito relativo. Não é possível defini-lo com exactidão. Podemos apenas afirmar que sendo sentimento, não é algo permanente.

São os momentos que desejamos que se repitam e se mantenham na memória. E o que torna esses momentos desejáveis e inolvidáveis varia como é óbvio, de pessoa para pessoa.

Isto leva-me a crer que indiscutivelmente ao longo da vida toda a gente chega a sentir felicidade. O que varia é a frequência e, talvez a intensidade que lhe atribui, tomando-se como ponto de referência.

Se não somos nada? Somos! Pelo menos somos matéria! Seremos tanto mais, quanto mais pensante e sensível, for essa matéria. Não é isso afinal, o que distingue o ser humano de tudo o resto?

Menino Azul disse...

Sabes a felicidade não é um estado imaginario, assim não podemos tanger a felicidade, a felicidade é algo do espirito, assim que você o alcança o vê em qualquer lugar, portanto é algo que pode ser alcançado, e não há como sair do estado de espirito da felicidade, a menos que tu queiras, portanto todos os caminhos são caminhos, uns são milhas e milhas de caminhada, enquanto outros lhe monstram belas paisagens para que comprendas o que é ser feliz.
daniel.

Paula Raposo disse...

Inteiramente de acordo...coisas tão simples como um sorriso, uma palavra de ternura ou um carinho e eu sou feliz.