10 agosto, 2007

em jeito de resposta

Alguém disse, escreveu e cantou: “Não me obriguem a vir para a rua gritar”.

Não está aqui em causa a ideologia política, mas sim o significado da frase ou verso.

Ontem, hoje e, lamentavelmente no futuro, uma razão sempre actual.

Por aqui, gritaremos sempre, que o julgarmos necessário. Bem sabemos que são gritos incómodos, que ferem os tímpanos existenciais até dos mais pacatos e, sobretudo dos que são ou se julgam indiferentes.

Na verdade, pode até parecer que quando grito, a mágoa é minha ou melhor dizendo, pessoal. De facto, assim não o é. Se assim fosse, estaria eu, a colocar-me acima daquilo que realmente importa. Destaque que de todo eu não mereço.

Vejamos, se de facto os gritos aqui lançados, incomodam, ferem e, incomodam o bem-estar amorfo, a que deitamos a nossa existência. Se de facto fazem nem que seja um só ser pensante reflectir. Então já valeu a pena. O grito.

Uma coisa é o mundo em que vivemos. Outra coisa é o mundo em que queremos viver. Ou melhor. O mundo em que desejamos viver.

Sim porque, querer, é imensamente diferente, de desejar. Quando queremos temos vontade efectiva de promover a mudança. Quando desejamos, olhamos apenas com deslumbramento, o objecto do desejo. Permanecendo atolados nesse marasmo de deslumbramento e inépcia.

Comecemos então, por tentar querer, passemos depois ao querer tentar, façamos assim o caminho do, querer. Obreiros de firmes convicções. Até porque o tempo é curto, apesar de em alguns momentos, de forma enganosa, parecer uma eternidade.

Bom fim-de-semana a todas/os.

18 comentários:

rascunhos disse...

Bom fim de semana amigo.

Virei visitar-te sempre q possa

Volto em setembro

Até lá um forte abraço

Maria disse...

E para mim o tempo é ainda mais curto... se me faço entender...

Bom fim-de-semana

Beijinhos

Um Poema disse...

É certo! Uma coisa é querer e outra é desejar.

Que bom será quando todos não nos ficarmos só pelo desejo. Há tanto para fazer... Haverá bem menos quando quisermos dar um pouquinho, só um pouquinho.

Deixo-te um abraço na fotografia que publicado para este fim de semana.

Maria disse...

Querido António

É mais curto porque sou mais antiga do que tu... só isso.
Não te preocupes....

Beijinhos, Amigo

Papoila disse...

Atingiste o objectivo.
Alguns pensaram e sairam... outros reagiram.
Por muito que nos revoltemos com o mundo e com a sua pequenez não o vamos mudar.
Quanto muito podemos tentar mudar as nossas próprias atitudes menos cívicas e menos solidárias.

Beijos
BFS
BF

Luz & Amor disse...

Amigo Antonio, que nossos quereres não fiquem na janela, apenas espiando. Que não sejamos espectadores e sim muito donos do espetáculo que a nós assiste: a vida. Beijos, obrigada pela visita e bom findi semana à ti.

Isabel-F. disse...

"...
Sim porque, querer, é imensamente diferente, de desejar. Quando queremos temos vontade efectiva de promover a mudança..."


claro que sim ....

bjs e bfds

Nilson Barcelli disse...

Gritos como esses serão sempre bem-vindos.
Desejar ou querer... pois, são mesmo coisas diferentes.
Bfs, abraço.

Silvia Madureira disse...

Eu normalmente quando quero tento...mas muitas vezes fico desiludida e cada vez menos convicta de sou capaz. Tento olhar a vida noutro ângulo mas quando se tenta e tenta...desesperámos.
"Quem espera desespera".

M R disse...

É um praser conhecer, encaminhado pelo post do Victor em "Fotografia".

Cumprimentos caro António Paiva,para V. Nova de Poiares -Coimbra, pois conheço a outra, da Régua...

Mário Relvas

Naty disse...

Ola vim visitar-te e gostei.
bjs naty

amigona avó e a neta princesa disse...

Meu querido António tenho andado ausente porque não tenho conseguido entrar aqui! O blog não abre! Como hoje foi diferente aqui deixo um abraço de saudades...

ana disse...

O tempo é curto, a tarefa desmedida e - tens razão - deixar cair os braços, enredar-se na atitude da impotência, é morrer sem glória.

foryou disse...

Pois é! O tempo é curto demais e há tanta coisa para querer e desejar...

E vou-me embora senão quem grita hoje sou eu e ainda te afugento as visitas.

Beijo e obrigada amigo

Afonso disse...

Olá António,
venho pedir imensas desculpas pela minha ausência. Talvez se deva à falta de tema para escrever mas também, principalmente, pela falta de espírito para o fazer. O que é um blog sem alma? Torna-se uma montra de artigos impessoais não é?
Vou tentar voltar a escrever e espero que me visite com a simpatia com que sempre o fez.

Até breve . . .

claudia disse...

Vamos à luta, damos o nosso suor, trabalhamos arduo e depois, ..., depois acentamos e descansamos, com a sensação de trabalho cumprido e de que amanhã teremos outro dia pela frente!

gritar, esbracejar, ... será que nos ouvem?

;)

SILÊNCIO CULPADO disse...

É bom depararmo-nos com toda esta combatividade, com esta sede de justiça que não se acomoda nem se deixa formatar. É isso mesmo meu amigo.Quando quiseres gritar eu gritarei contigo.

ana disse...

Porque o tempo é curto, o empenhamento é urgente!
Persiste na tua senda.
Abraço.