11 outubro, 2007

Conferência

A sala está vazia. As paredes pintadas de sombras. O ideal era que as memórias galgassem as falésias e se apoderassem do interior. O conferencista afirma: Convenhamos que a morte é o que há de mais repetitivo. A tal ponto que se torna insignificante. Nem sempre é fácil discernir a mentira da verdade. O medo é que a coloca em evidência.

- Não se ouviram aplausos, alguém tossiu.

Quando acenderam as luzes, era visível o desespero de todos em busca da sobrevivência.

- Dizem os especialistas que as palavras continuam a nascer nos campos, sendo essa a razão de eles serem verdes.

- Eu ainda estou por cá. Não, não é uma questão de tempo. É uma questão de circunstância. À beira das palavras, cada vez mais escassas. Percorro a serra, apanhando os troncos secos das giestas para acender o lume.
Vejam lá bem, que até já houve quem se atrevesse a escrever, que junto das falésias se pode encontrar o mar inteiro, pendurado nas palavras.

O moderador afirmou que não havia ligação entre uma coisa e outra.

- Nem sempre há. O que há, é uma voraz apetência para a lógica das coisas. Dessa forma tudo se torna mais fácil. Dizem.
antónio paiva

11 comentários:

Maria disse...

Enquanto houver esses campos verdes as palavras hão-de brotar. Não importa onde.
O mar espera, ao fundo, para as banhar...

Beijinho

un dress disse...

belíssimos textos abaiXo...


da lógica sim...

parece que facilita.

mas não. não me parece.

nada.




beijO

Papoila disse...

Li estes 3 últimos postes e de tão intimistas vou sair pensando neles..

"...dentro de mim às vezes também se está bem..."

Eu acrescento...

Muito bem

Beijos
BF

Eduarda Petry disse...

Ahh, que nunca temamos a morte e que os campos nunca deixem de ser verdes!
O que seria da vida (e da morte) sem as palavras?

Keila, a Loba disse...

Tão repetitivo quanto a morte é a vida, mas a beleza de ambas reside nas situações diferentes que ambas encontram para falar do ir e do retornar.

Bello, bello!

BeijUivooooooooooossssss da Loba

foryou disse...

:) assim entendo melhor! (ou não...) :)
em prosa fica tudo mais fácil! (ou não...) :)
De uma forma ou de outra sabes que gosto sempre de te ler! (quando entendo e quando não...)




Sim, é da hora e do cansaço... mas tinha de te vir deixar um beijo :)

kurika disse...

...eu acho que se pode encontar o mar inteiro junto das falésias...e pode ser azul ou verde ou negro, depende da cor das palavras ali penduradas...


Belo!!

Um beijinho

rascunhos disse...

amigo o teu poste em baixo deixou-me sem palavras...


um excelente fim de semana e

beijinho grande

Nilson Barcelli disse...

Eu sou dos que acredito que junto das falésias se pode encontrar o mar pendurado nas palavras, se não inteiro, pelo menos um mar imenso.
Bfs, abraço.

ana disse...

Encontro mar, giestas, lume, lareira, olhares, sonhos, aventuras, venturas - pendurados nas palavras.

MiguelGomes disse...

É tão difícl viver numa lógica que não é nossa...

Fica bem,
Miguel