08 janeiro, 2009

in Genéricos 11




Todos sabem o que eu amo, todos sabem o que me repugna.” (Alves Redol) Os senhores dos pesadelos fabricam-nos sem intervalo. Fazem-nos de carne e sangue, embate de força bruta. Cruciante entrar e sair no transe da plena angústia. Não me deixam descansar.

uma espécie de escritos avulso
para ler sem receituário
antónio paiva

6 comentários:

escarlate.due disse...

é a especialidade deles, fazer o quê?! parvalhões, podiam entreter-se com coisa mais interessante.


beijinhos e que os teus pesadelos passem a sonhos

innername disse...

a angustia é inevitável, tal como saberem governar com paz....
o que entristece é saber que a humanidade nunca aprende com erros anteriores e as vitimas vão amontoar-se. Dá-me ideia que não aprendemos nada, quando somos unicamente governados pelos interesses.
Cumprimentos

Ana disse...

Os senhores dos pesadelos fabricam-nos sem intervalo.

Até as trevas têm fim.
Por muito que nos angustiem, todos os males um dia acabam.
Mas sei, sentimos urgência desse dia.

Descansa no meu abraço, meu Amigo.

Vanda Paz disse...

Genéricos com ou sem receituário, o pior é que as contra indicações continuam as mesmas e produzidas pelos mesmos microorganismos arrepiantes que tentam interiorizar-se em nós tornando-nos pesadelos de nós próprios, muito bem António

Beijo

kurika disse...

Estamos na era do "Uso e Abuso"..., em tudo!

Pena, que seja da pior forma e com os precários argumentos!

Um beijo

Bom fim de semana

escarlate.due disse...

ainda andas com pesadelos???
espero que não seja mal da terra nem seja contagioso que eu não quero o meu guerreiro a sofrer dessa maleita.

beijinhos