26 janeiro, 2009

jardim da alma




tua alma agora livre da desventura
sonha docemente com as delícias da lua
agora entre flores, uma outra flor fulgura
guardando nas pétalas uma lembrança tua

5 comentários:

Maria disse...

Quantas vezes a poesia mais triste é a mais bonita...

Um beijo, António

Vanda Paz disse...

Gosto tanto deste pedaço de poesia

beijo

Ana disse...

Os jardins da alma dos sonhadores são recantos de eternidade. Ali nada do que se viveu fenece ou foi vão.

rascunhos disse...

Penitenciando-me pela ausência, aqui te deixo um abraço que te envolve com as palvras de sempre.

bj

© Piedade Araújo Sol disse...

tanta ternura com laivos de saudade...

beij