22 fevereiro, 2006

Carta Aberta do Burro ao Tio Pacheco

D'aqui, 22 de Fevereiro de 2006
Tio Pacheco, espero que esta minha carta o vá encontar de perfeita saúde, nós por cá vamos indo na forma do costume, desculpe a carta ir aberta, mas como o tio anda sempre atarefado assim poupa a trabalheira de abrir, foi bem pensado não foi?
Cá na terra continua tudo na mesma, até os gritos da desavergonhada da Balbina quando se encontra no palheiro com o compadre Vesgo, são estéricos como sempre.
Mas adiante, a razão de lhe estar a enviar estas letras é que ultimamente o tio tem andado nas bocas da blogosfera, a avó Maria sempre disse quem semeia ventos colhe tempestades, que sábia era a avó, tenho saudades dela, ora tio Pacheco para o que lhe havia de dar, então o tio que está sempre a atirar pedras sem dó nem piedade, a quem lhe vem à ideia, lá porque o tio vai à televisão escreve em tudo quanto é lugar, lá porque o seu Abrupto é um blog de élite, porque lhe apertam o calos de vez enquando, vai daí e "bota-se" a legislar sobre comentários na blogosfera.
Ò tio, não se pode esquecer que ainda não atingiu a idade nem o estatuto do vôvô Soares, que já pode dizer tudo o que lhe vem à cabeça que ninguém leva a mal, sim tio esse mesmo, aquele que antes de ser reformar, ainda quis dar uma volta ao país em campanha.
O tio fala de posição e contradição, diz que a contradição é uma fraqueza moral, ai tio, não se lembra do tio Marcelo, que por causa de não haver contradição ou contraditório, ou lá o que era, passou à clandestinidade no canal estatal, o tio diz que o tribalismo é a doença infantil da blogosfera, qual é a sua tribo tio? Ai tio não me diga que é a élite senil, nem quero acreditar, o tio ainda é novo, mas que chatice.
Sabe uma coisa que me preocupa tio Pacheco? É que eu já li em alguns blogs, que mandam o tio levar na ventoinha, isso é levar onde tio? Ai não me diga que é num sitio que eu estou a pensar, que isso deve doer p'ra caraças, desculpe o termo tio, saiu.
Tio Pacheco, sabe sempre me fez confusão os blogs de gente importante como o tio, não terem a caixinha de comentários aberta, assim p'ra todos escreverem e verem o que que pensa cada um, sobre aquilo que o tio e pessoas como o tio escrevem, tem de ser a coberto do e-mail tio, que chatice, olhe tio penso que doi menos abrir a caixa, que pegarem-lhe nos fundilhos e fazerem-lhe aquela coisa lá na ventoinha, nem quero que me lembre.
Desculpe tio, bem sei que a carta já vai longa, e o tio tem mais que faça, mas queria aproveitar a oportunidade para lhe falar disto, não sei se o tio viu aquela reportagem na TVI, sobre o Silêncio dos Inocentes, sobre crianças mal tratadas, pois é tio Pacheco, como o tio vai todas as semanas ao programa daquele Sr. de barbas da TSF, que passa na SIC Notícias, onde o tio está com o tio Coelho e o primo Xavier, podiam e deviam lutar por esta causa, até vos ficava muito bem, pode crer que ficava.
Ah, espere, só queria dizer mais umas coisitas, o tio escreve em jornais e revistas, tem obrigação de denunciar estas coisas e lá no seu Abrupto, em vez de tantas fotos de trabalho em Portugal, e de aludir ao darwinismo social, ai o tio emprega palavras tão inteligentes, dizia eu que o tio podia e devia abraçar esta causa.
Pois, mas o tio Pacheco, é daquelas pessoas que acham graça aos sorrisos das crianças, de as ver brincar nos jardins, mas nunca lhes passa pela cabeça o que se esconde por detrás, daqueles sorrisos e daquelas brincadeiras, elas não são leitoras dos jornais, dos blogs, nem assistem aos programas de televisão, para pessoas como o tio darem largas à sua verborreia intelectual.
Bem tio Pacheco, não o maço mais, com estas me vou, até à volta do correio.
O nosso muito obrigado.

18 comentários:

sonia r. disse...

O tio Pacheco vai adorar a carta. Bom dia Chuvamiuda.

Bjo.

sonia r. disse...

Já a li e adorei. Obrigada burro.

Bjinho.

sofia. disse...

:)

Eu disse...

o teu burro tem uma família extensa... 'tadinho

a carta está muito boa, mas acho que o tio não a vai conseguir perceber, pelo menos à primeira (por falta de tempo, quero Eu dizer)

Legionaria disse...

Já agora chuva miuda és capricórnio, so do i! beijo

Isabel-F. disse...

...curvo-me perante este teu texto...

está 5 estrelas...

Bjs

Luis Monteiro disse...

Um homem que se assume como a esquerda da direita, deixa muito a desejar. Se calhar ainda não acertou na ideologia, ou então está muito à frente do seu tempo, o que tb pode ser verdade.
Outra nuance é não admitir que alguém seja mais modesto que ele... isso é que me faz rir às gargalhadas!!!

segurademim disse...

... e eu que nunca passei perto do bruto, desta, tenho que lá ir, senão não "pesco" nadinha!!!!

;)

Isabel-F. disse...

...e hoje....pela 1ª vez...fui lá lê-lo....

bj

Caiê disse...

Não sei se ele chega lá, sabes... e, depois, gajos ocupados nunca têm tempo para se preocuparem com miúdos. Os miúdos não votam, logo não têm voz activa na sociedade, logo não interessam. Sabes como é... tipo, os burros e as gatas. Beijos, minha chuva! :)

alice disse...

lol
a carta está genial de facto, mas o melhor é ser lida pela tia... sabe, as tias têm um 6.º sentido + apurado para entender certas coisas
lol
beijoka,

alice

sem cantigas disse...

e vão dois
http://semcantigas.blogspot.com/2005/12/pacheco-tc-msica.html
se me permites!

Carlos Estroia disse...

O tio Pacheco ainda faz uma lei a proibir o zurro do teu companheiro na blogosfera( sem ofensa para o teu confadre)
Abraços

{-Sutra-} disse...

O Tio Pacheco vai reclamar e agora com as leis que ele anda a criar sobre a blogosfera, ainda levas alguma das suas etiquetas.
Mas sabes? Prefiro ler-te a ti que ao Tio Pacheco.
Por isso, voltarei :-)

Beijo doce

Anamargens disse...

Chuvamiuda,
Acredites ou não, estou mais virada para os posts do burrito.
Já não me apetece o Tio Pacheco.
Gosto da vida pensada, mas leve, sem seriedade a mais da conta...
Paciência mesmo, só se fôr para maiores de 80 anos, aqueles que já podem invocar Alzheimer...
Abraço.

alfazema disse...

Gostei muito das tuas burrices. Afinal a minha tia Catrina tinha razão quando dizia que o burro era um animal muito "intlegente" que é como quem diz tem qualquer coisa de gente. Vê, ouve e fala. E fala que "sa" farta.
Boa noite.

adesenhar disse...

eu como sou burro, não passo cartão ao pacheco, e pode zurrar à vontade, porque eu apenas digo...

pacheco zurrador!

não obrigado.

:)

caminante disse...

Los burros son animales pacientes, se contentan con casi nada. También son un poco tercos. Me encantan estos animalitos. Me ayudan a caminar.
Un fortísimo abrazo.