12 dezembro, 2006

não há pachorra

À direita e à esquerda, ao centro nas bordas e ao meio, nos continentes e nas ilhas. Continua um incansável estender de tapetes vermelhos, destinados aos mais diversos séquitos, as abelhinhas e os zangões, na esperança de que lhes vão calhar umas migalhinhas, dão o seu melhor para agradar.

Os Adónis não se fazem rogados e aproveitam as marés, que merda de consciência colectiva é esta, que se hipoteca, na esperança de que a fava calhe apenas aos outros.

Tudo o que importa, desde o bem-estar, a saúde, o ensino, o trabalho, a cultura e o ambiente, estão como sempre estiveram, a ser retidos e disputados, entre os fatos e vestidos lustrosos e, os sindicalistas de interesses duvidosos, os primeiros nunca enganaram (pelo menos aqui aos protagonistas desta página), os segundos têm enganado sempre, o que lhes interessa é apenas manter os seus cargos de nada fazer, fazendo de conta que defendem os interesses dos outros.

Bardamerda, ide todos trabalhar, quanto aos seguidores, ou acordem ou mantenham-se tal como estão, mas nesse caso não incomodem com os lamentos, que já metem nojo!


O nosso muito obrigado.

9 comentários:

Joana disse...

Amigo,

cheguei em maré de reinvindicação. E é aqui que marcho contigo contra a hipocrisia.

Pois, como eu diria perante um júri pomposo, podem chamar-me utópica ou apenas jovem imatura de vinte e tal anos, mas vou continuar a gritar em tudo o que acredito!

Assim é contigo. SOMOS FEITOS DA MESMA MASSA! :)

Beijinho grande e desculpa a ausência (perdida na maré que tu sabes!)

kurika disse...

Bom dia Amigo;
Concordo plenamente, só que os "lambe-botas" vão existir sempre, na ânsia de arranjar um "tacho" igual aos que se passeiam na passadeira vermelha...e 99,9% das vezes quem faz bem o seu papel é quem está nos bastidores, não é quem precisa de protagonismo...não é quem se exibe.

A necessidade de manter ou fazer parecer uma determinada "fachada" é urgente nesta nossa sociedade podre de consumismo e de valores distorcidos.

Se poderes...quando forem a passar, retira-lhes o tapete!!!

Que má que eu estou hoje.

Um beijinho, e bom dia.

Ilhota2 disse...

ADOREI!ADOREI!ADOREI!

E há dias assim mesmo em que NÃO há pachorra para "gentinha" assim.Como te entendo amigo. E olha, esperemos que a razão e os pulmões nunca nos faltem, para dizê-lo bem alto!!!!

Um beijo e óptima semana sem pblms informáticos :-)

amadis / pintoribeiro disse...

Bardamerda tu ke eu vou dormir, porra. Vai trabalhar. Pronto.
Lolololol.
Abraços,

Testa Alta disse...

Chuvamiuda,
A mim, amigo, nem fatos, nem vestidos lustrosos, nem sindicalistas duvidosos, me enganaram.
Só me sinto enganada, eventualmente, por aqueles em quem depositei confiança. Só me podem enganar pessoas a quem confiei sentimentos ou decisões, acreditando que os tratariam com o seu melhor empenho e sabedoria.
Mas estou contigo - bardamerda para todos os lambe-solas, que esperam apanhar sempre o bocado melhor, mesmo sabendo que o não merecem.

Um Poema disse...

Concordo e subscrevo. Não há pachorra mesmo. Afinal, conversa não lhes falta, mas trabalho... esse nem de perto é para eles.
Um abraço

Miguel disse...

Pois... compreendo. Tenho como sabes dias assim... e nem sempre é bardamerda que os mando. Que NOS mando, porque também sou fraco!

segurademim disse...

... metem nojo, sim senhor

servem para tudo, menos para trabalhar ... escumalha

beijo para ti . bom dia

soslayo disse...

chuvamiuda:

Olha meu amigo costuma dizer-se que a carapuça enfia-se em quem lhe serve! Por acaso não se encaixa em mim, o que lamento (às vezes quando me atrevo a escrever alguma coisa sobre certos procedimentos dessa gente ilustre!) é o facto daqueles que dizem defender os outros, só olham para o seu umbigo e da família d'eles e o resto que se lixe... Também já não tenho pachorra, mas nunca perco o ímpeto de fazer uma crítica enquanto achar que o silêncio é o pior dos males deste país! Um abraço.