30 março, 2006

A Sul de nenhum Norte

Ele há dias assim, as coisas nem sempre correm como mais gostamos, olhamos em todas as direcções nada de novo, nada que nos anime, o quotidiano está cada vez mais medíocre mais infame, a vontade é mais de dar uns abanões nos resquícios das almas anafadas de falso virtuosismo, aborrecem-nos uns quantos/as pedantes que não perdem uma oportunidade para se gabarem, nem que seja de “porra” nenhuma, estas almas nem que lhes saia um brinde nos chocolates kinder, não resistem a vir apregoar aos sete ventos do facto.
É precisamente nestes dias que nos aparecem estes/as cromos, nossa Senhora D’Agrela nos valha, que ainda assim não há outra como ela, mas como íamos a dizer, a falta de paciência para gente com esta forma de estar agrava-se dia a dia, bem sabemos que todos têm direito à vida, pois têm sim senhor, mas nós também temos direito a não ver os nossos olhos, o nosso sossego importunado, por estas ignóbeis criaturas. Que se deixem lá andar por onde andam, que sigam o caminho que escolheram, que sejam felizes como são, não queremos sequer saber e temos raiva a quem sabe.
Prezamos a nossa tranquilidade e dos outros também, respeitamos a nossas vontades e as dos outros também, porque raio hão-de certas alminhas aparecer de quando em vez, para nos poluir o bem-estar com tiradas medíocres, é que quando menos esperamos ficamos a Sul de nenhum Norte, nós estimamos as pessoas e muito, agora o que não estamos obrigados é a patrocinar, maus feitios e pessoas mal intencionadas e egoístas, que não conseguem enxergar que ninguém é obrigado a lhes aparar o jogo, muito menos posturas psicóticas.
O nosso muito obrigado.

15 comentários:

sonia r. disse...

Hoje estás mesmo chateado. Vim só dar boa noite e já estou de saida.
Boa noite Chuvamiuda.

Bjo.

Pinto Ribeiro disse...

Bom dia Kmrd.

Joana disse...

Depois de uma noite dificil e de um MUITO provavel dia de cama (isto é se não tiver de ir fazer companhia a médicos e enfermeiros aqui do hospital mais perto), decidi vir desejar-te um BOM dia...!

E depois de ler isto.
E depois da Nossa Senhora D'Agrela (tive uma professora que apregoava esta entidade nas aulas - hehehehehe). Valha-nos a todos nós e a mim muito especialmente que hoje tou necessitada.

Beijinho grande e um dia muito feliz amiguinhos!

P.S. Não fiquem revoltados. Há pessoas para todos os modelos e feitios...pena não podermos desligar o botão!

alfazema disse...

Que se passa contigo? Estás mesmo desnorteado? Precisas de uma bússola? Precisas de um calmante? Onde está ou estão essas ignóbeis criaturas que tanto te incomodaram? Eu sei que estão por toda a parte mas tu sabes tão bem ignorá-las! Não gosto nada de te ver assim! Passei para te deixar um beijinho e encontro-te quase de rastos. Burro que é burro dá um coice nisso tudo.
Bjinho, vá lá ...cuida desse coraçãozinho.

anirada disse...

olá!!! a sul está-se bem às vezes.eh olha isto de vivermos em comunidade e termos de lidar com os outros sempre também acaba por nos fazer perder o sentido daquilo que nós próprios somos.fica bem. beijo

inBluesY disse...

eu tenho esta teoria: os cromos existem para nos lembrar como somos felizes sem eles...


é apenas uma teoria

beijinhos

Águas da Vida disse...

Nao deixe que o fantasma da depressao tome conta do teu interior, a vida é bela e cada segundo de vida é um milagre que nos foi concedido.
Parabens pelo post no "Aguas da vida".
Big Kiss

HatA/mãe disse...

Bom dia
Não sei do que se trata mas acho que tem razão.
Um dia cheio de sol, (hoje parece).
Abraço

Mendes Ferreira disse...

a favor da chuva. e contra os cromos. sempre.


beijo.

Miguel disse...

Passou... já passou, não já?

Caiê disse...

Eu diria neuróticas, porque psicóticas implica uma gravidade do camandro. Mas eu também não percebo nada disso, claro está, quem sou eu? ;)
Relaxa e toma um chá... de ervas.

Luna disse...

POis é burrinho , por vezes bem apetece dar uns valentes coices , mas não resolve nada, a não ser ficarmos ainda mais furiosos, assim , temos que cada vez mais cultivarmos a paciência,
Beijocas

LM disse...

Dê às coisas (e às pessoas) a importância que elas lhe merecem.
Resulta!

Elipse disse...

que desabafo angustiante... abstracto no alvo, mas gritante no conteúdo.
Toma lá um beijo.

Yes, Master disse...

Pá, muda-te para Norte de Sul nenhum...

no mínimo...