29 novembro, 2006

para onde caminhamos II?

Pedofilia em Sintra


Homem detido em flagrante quando molestava uma menina de nove anos
Um homem de 57 anos foi detido em flagrante delito pela GNR no sábado em Algueirão, concelho de Sintra, quando molestava uma menina de nove anos no interior de um carro, noticia hoje a imprensa.
SIC online

O alerta terá sido dado à GNR através de uma chamada anónima, refere o Correio da Manhã (CM). Quando a GNR de Mem Martins chegou ao local, percebeu que o homem estava a molestar a menina e que no interior da viatura estava também um irmão da criança, um rapaz de 10 anos.
Fonte da GNR disse ao CM que o homem, divorciado, não tem qualquer grau de parentesco com as crianças e que os dois menores terão sido aliciados com dinheiro ou qualquer oferta.
Segundo o Jornal de Notícias, o indivíduo era conhecido da família e tinha uma relação próxima com as crianças, com quem já teria saído em outras ocasiões.
As duas crianças foram assistidas por uma psicóloga da Polícia Judiciária e mais tarde entregues aos pais, moradores na zona de Mem Martins.
O suspeito foi, segunda-feira à tarde, presente ao juiz de instrução no Tribunal de Sintra, desconhecendo-se qual a medida de coacção aplicada.
Com Lusa
Em Alfragide
Recém-nascido encontrado com vida dentro de um saco térmico
28.11.2006 - 15h24 Lusa
Público online

Um recém-nascido abandonado, ainda com placenta e cordão umbilical, foi descoberto hoje de manhã com vida dentro de um saco térmico em Alfragide. O bebé foi levado para o hospital e não corre perigo de vida.

O alerta de que estaria um bebé dentro de um saco na intersecção da rua da Portela com a rua das Garagens, em Alfragide, foi dado às 08h45.
Os agentes da PSP confirmaram no local que se tratava de um recém-nascido, envolto numa toalha dentro de um saco térmico, ainda com placenta e cordão umbilical.
O bebé foi transportado para o Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra), onde ficou em observação no serviço de Neonatologia.Fonte do hospital disse à Lusa que o bebé "está bem e "é perfeito". O menino foi inicialmente colocado dentro de uma incubadora "para aquecer, já que deu entrada no hospital com uma ligeira hipotermia"."
É um recém-nascido de fim de tempo, com nove meses de gestação, que terá sido colocado no saco pouco tempo depois de nascer. Terá horas de vida", disse a mesma fonte.
A toalha e o saco que envolviam o corpo foram enviados para o laboratório da Polícia Científica de Lisboa, enquanto a placenta e o cordão umbilical foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal.
O caso foi entretanto entregue à Polícia Judiciária.

Quem somos? O que somos? O que queremos? De onde viemos? Para onde vamos?

Vestimos tão bem. Falamos tão bem. Somos tão bem. Sabemos tão bem. Ou não sabemos?

Evidentemente declinamos. Claro que sim. Declinamos.

16 comentários:

Kalinka disse...

Também tive conhecimento destes 2 casos, nas notícias das 20h.
Infelizmente é o País que temos, com pessoas muito perturbadas e, acontece comigo, quando vou à consulta de Psiquiatria ou com a Psicóloga, elas me dizem que...as pessoas que se deviam tratar são precisamente aquelas que não vão...
Talvez ou quase de certeza que o meu problema não é tão grave, há quem esteja bem pior.
Por estes actos, chego à conclusão que sim, anda tudo LOUCO.
DÁ QUE PENSAR.
Quem somos?
O que somos?
O que queremos?
De onde viemos?
Para onde vamos?
Quem saberá responder a estas perguntas?

Maria disse...

Dizer que estou chocada é pouco.
Ouvi a notícia do bébé no saco de plástico, e perguntei-me que raio de sociedade estamos nós a construir.
Não tinha ouvido nada sobre o pedófilo de Mem Martins. Mas o que estavam os pais das crianças a fazer que não terão dado pela falta dos filhos? Ou é algo mais complicado?
Sabemos que a esmagadora maioria dos pedófilos são gente próxima da família ou até da família, mas então com todos estes casos ainda tão frescos na nossa memória os pais continuam desatentos?
E o bébé abandonado? Como é que se tem coragem?
TGV's? Aeroportos na OTA?
Redução do orçamento na educação? Na saúde?
Como é que é?
Que nos ensina a televisão que entra pela nossa casa dentro sem ser convidada e nos impinge os programas da "qualidade" que todos sabemos?
Qual é a responsabilidade individual? E qual é a responsabilidade colectiva?
Incompreensão, tristeza, desalento... são as palavras que me vêm à cabeça.
Hoje não vou dormir descansada...

al cardoso disse...

Declinamos e muito, so em consumismo subimos!

Um abraco serrano.

Vim aqui atravez do Acaxa.

kurika disse...

Bom dia Amigo:

Eu vou dizer-te quem sou...

Tenho 38 anos, e o que mais queria na minha vida era ter um filho...o que não será possivel nunca, pois a vida "ofereceu-me" este NÃO.
Ainda não aprendi totalmente a viver com isso... e quando vejo as situações de que falas...não consigo comenta-las...porque... "Deus dá nozes a quem não tem dentes"...
... e acho que sim...somos muito bem...

Desculpa o desabafo...

Um grande beijo para ti

Ilhota2 disse...

ISTO é também o ser humano.Não o de hoje mas o que sempre foi.A História(não a que muitos de nós estudou mas a real) mostra-nos o ser humano com o pior se pode imaginar. Desde os sacrificios de crianças feitos em nome de um deus qualquer,ao abandono ou mesmo morte,daqueles que não tinham a sorte de nascer, dentro dos parâmetros da "normalidade" aceitável.Não nos podenmos esquecer que só num período muito recente da história da humanidade, as mulheres e as crianças, por exemplo, têm direitos especificos. As primeiras faziam parte da mobilia , as segundas às vezes nem isso( para usar uma forma rápida de dizer as coisas).

A maioria das vezes os abusos e maus tratos, nem sequer eram dados a conhecer e mesmo que o fossem eram irrelevantes para a sociedade.
A noção de "chefe de família" era uma conceito que valia por si só e nem sequer existia legislação especifica sobre direitos humanos.A "Roda" era muito mais do que um conceito.Era uma realidade que os registos paroquiais nos confirmam.

Por estas e outras somos uns ( e umas) privilegiados em termos nascidos no século XX. Num século em que no mesmo minuto sabemos o que se passa no Japão e em Nova York por exemplo. Em que tudo o que é bom e mau nos entra pela vida dentro, mesmo sem o desejarmos.
E num século em que achamos que evolução do ser humano deverá caminhar no sentido positivo, mas no entanto tal não acontece. Não aconteceu na nossa Europa entre 39 e 45 por exemplo, quando um louco que se achava o dono da verdade, resolveu extreminar milhões de inocentes.Um louco que conseguir fazer-se reunir de cérebros supostamente inteligentes, que fizeram no campo da medicina e com seres humanos, atrocidades que violam todo e qualquer direito.
Por essas e por outras, actos destes são sempre lamentáveis mas infelizmente próprios do ser humano.
O pior que se pode fazer é a aceitação destes e doutros casos igualmente condenáveis. Por isso, temos também o DEVER de os denunciar e não ficarmos em silêncio.

Miguel disse...

Companheiro:
A Ilhota já o referiu. A história da humanidade está cheia de coisas abjectas como estas. A dita evolução, tem trazido, nalguns casos um progresso económico e um aumento cultural. Mas estão estes alicerçados em quê?
Nos sistemas politico-económicos cegos de concorrencia feroz, sem alma, sem sentido. Assim,a sociedade não evolui de todo. Actualiza modas, comportamentos, cria máquinas que nos deveriam dar mais conforto, mas que não nos podem dar mais felicidade. E alguns, à procura dela, fazem isto. Não sou de desresponsabilizar, mas quem gerou criaturas que faem isto? Nós todos! Não nos podemos por de fora como arautos da moral.
Repensar as sociedades, aquilo em que se baseiam, escalas de valores e uma poliotica centrada no ser humano em vez dos dolares ou euros.
Meio mundo vai morrendo, outro meio, toma anti depressivos, o planeta dá sinais que carecem de ser lidos de ua forma séria e alteração de comportamentos.
Nós, neste cantinho, vamos endo floribelas e assobiando para o ar...

pintoribeiro disse...

Bom dia, abraço,

sonia r. disse...

Sem comentários. Bom dia Chuvamiuda.

Testa Alta disse...

Quem somos? O que somos? O que queremos? De onde viemos? Para onde vamos?

...Sabemos tão bem. Ou não sabemos?

Evidentemente declinamos. Claro que sim. Declinamos.

*********************
Em cheio, na ferida do nosso estar em sociedade. É doloroso! Mas talvez a ferida, uma e outra vez remexida, nos obrigue a acordar e a intervir mais. E a exigir mais daqueles a quem confiamos o dever de nos governar e gerir o nosso destino colectivo.
obrigações individuais, pois há.
E há Organismos Sociais, pagos com o dinheiro dos nossos impostos, que têm obrigações de prevenção, julgo eu. Ou existem só para mal remendar e não para prevenir?
Bom dia, Amigo.

clotilde disse...

Bom dia :).
Nem comento.
Tem um óptimo dia!!!

Beijinhos

stela disse...

Não ouvi a notícia.
Nunca me vou habituar a ouvir notícias destas! Nunca!
Sem dúvida declinamos...
bjs

Claudinha disse...

Meu Deus, que mundo é este? estes homens são chamados de animais, mas o spbres animais não fariam isto. Estes homens são seres abjetos, desprezíveis e merecedores de um castigo terrível. Pobres crianças, indefesas, abandonadas em sacos térmicos, levadas a viver experiências absurdas pelo descuido daqueles que as deveriam cuidar. Não me conformo!
Um beijo!

Marco Ferreira disse...

Estamos entregues à bicharada. É por situações destas que por vezes penso na pena de morte.

marinheiroaguadoce a navegar

Rosario Andrade disse...

Bom noite Chuvica!
Impossivel a uma pessoa de mente sã compreender os crimes contra crianças. As pessoas que os cometem são indivíduos com graves problemas psicológicos que deviam ser tratadas e mantidas longe do convivio da sociedade. eu acredito na reabilitação das pessoas que cometem crimes, mas não acredito na reabilitação deste tipo de pessoas... a única reabilitação possivel é a castração!
Quanto ao abandono do nascituro... é horrivel, sim, mas não vou julgar a mãe. não sei por que dificuldades está a passar nem porque fez o que fez. Mesmo não querendo a criança podia ter feito as coisas de modo dierente de modo a poupa-la a perigo de morte. Pelo menos envolveu a criança para que nao perecesse. Porque acredito que o ser humano é intrinsecamente bom, sepero que tenha sido ela a indicar anonimamente a localização do bebé... e que ela consiga perdoar-se a si propria.

bjicos

Isabel-F. disse...

Custa-me ler ... fico revoltada ... quando acabará este flagelo???

Bjs

Um Poema disse...

Triste!... Miseravelmente triste!
Humanos?... Como?...
Um abraço